“Until the spirit new sensation takes hold, then you know”
Por B. | 23/10/2021

Como podem observar, não postei os desenhos que anunciei que iria postar aos domingos, assim como tenho deixado cada vez mais de cumprir o que me proponho a fazer aqui. E não só aqui, isso tem crescido nos últimos meses. No mínimo, desde abril. Eu demorei a perceber direito o que estava acontecendo porque dessa vez a minha velha conhecida Distimia, essa forma de depressão que não te deixa de cama mas cobre a vida com uma meleca cinza, apareceu diferente. Existem padrões de pensamentos e sensações que aprendi a identificar depois de tantos anos, mas cheguei a um momento da minha vida em que resolvi tantas coisas que isso me trouxe uma nova forma de ficar mal. Fui no embalo quarentena adentro, focando em ficar bem nesse contexto absurdo, o que pra mim significava o tal “fazer minhas coisas”. Não estou falando dessa obsessão por produtividade com a qual o mundo nos soterra atualmente, mas é da minha personalidade que me dedicar aos meus milhares de interesses, de boa, é como eu funciono quando estou bem. Me vi correndo atrás das coisas me escapando e sem perceber fui dando cada vez mais de mim para coisas que normalmente não me exigiriam nada. De repente, qualquer coisa era muito pra lidar, daí reconheci a cara da minha velha conhecida, uma cara nova mas que ainda é dela. Voltei, enfim, para a medicação que já está fazendo efeito e resolvendo, sim, a parte química dessa batalha e eu achei que assim que os remédios batessem eu voltaria a fazer, de boa, minhas milhares de coisinhas todos os dias. Mas essa parte também aconteceu diferente do que eu conheço. Não deu. Pensei que não passaria mais do que algumas semanas assim, mas passei. Daí entendi, graças à terapia, que mesmo estando saudável de novo, preciso descansar depois de tanto tempo aumentando paulatinamente a dose de energia mental empregada para administrar a doença que avançava.

Concluindo: pode ser, portanto, que eu poste os desenhos aqui esse domingo e pode ser que não. Quero completar o desafio do Inktober-Alphonsober-Insectober assim como quero fazer várias outras coisas, mas vou voltando a isso no meu ritmo atual, que não sei qual é e preciso me permitir não saber. Deixa vir. Quando eu sair do casulo, eu aviso vocês, combinado?

voltar | NotíciasTextos | Nenhum comentário | | sobre | links



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *